Você sabe qual é a importância de uma alimentação saudável para a saúde dos dentes? Sabia que algumas deficiências nutricionais já podem ser notadas pela boca?

O primeiro relato que relaciona a nutrição com a saúde bucal vem da época das Grandes Navegações quando os portugueses vieram para o Brasil. Naquela época, a alimentação dentro do navio era algo muito precário, eles não tinham acesso a alimentos frescos. Então, se notou que muitos navegadores desenvolveram um sangramento na gengiva que mais tarde foi descoberto ser escorbuto, que é a deficiência da vitamina C na alimentação. Essa falta causava um distúrbio no metabolismo do colágeno, uma proteína importante para a sustentação dos dentes e da gengiva, e foi muito simples de resolver isso. Eles notaram que com o consumo de algumas frutas, sobretudo o limão, rico em vitamina C, fazia essa hemorragia ser sanada e os navegantes tinham de volta sua saúde bucal. 

Outro relato importante no início do século 19, por volta de 1820, foi um estudo de um grande pesquisador e dentista canadense chamado Weston Price. Ele fez uma pesquisa fantástica, queria provar que a alimentação industrializada e refinada, que estava se tornando moda naquela época, tinha impactos negativos na saúde bucal, no aparecimento de cáries e na oclusão de dentes. Até mudanças na estrutura da face da mandíbula ele percebeu, então ele viajou o mundo atrás de povos tradicionais, como os aborígenes e os indígenas, que não tinham acesso à alimentação refinada e que comiam a dieta tradicional baseada em comida de verdade, com alimentos naturais. Weston comparou fotos da arcada dentária e também de cáries desses povos com civilizações industriais que se alimentavam basicamente de alimentos ricos em farinha, açúcar e refinados de modo geral. 

Ele pôde constatar que o aparecimento de cáries e a perda de dentes eram infinitamente maiores nesses pólos da civilização industrial. Na época, ele publicou um livro chamado Nutrição e Degeneração Física  (que recomendo a qualquer pessoa) com toda a documentação e fotos. A partir daí, vários novos estudos foram sendo feitos relacionando a saúde bucal com a qualidade da nossa alimentação. 

Recentemente, foi constatado que o que a gente come interfere diretamente no equilíbrio e na composição das bactérias que vivem na nossa boca. Então, por exemplo, quando se come muito açúcar a gente causa um desequilíbrio muito grande nesse micro bioma, pois diminui o pH, favorecendo o acúmulo de cáries. 

alimentação e saúde bucal

O pesquisador Weston Price comparou fotos da arcada dentária de povos tradicionais com os de civilizações industriais.

Alimentos industrializados também pobres em fibras não exigem que a gente mastigue muito. E para se ter produção de saliva, produção de agentes antimicrobianos, é preciso mastigar. Então, é preciso comer alimentos fibrosos, porque só assim vamos conseguir ter um equilíbrio dentro da saúde bucal e na diminuição de cáries. Outra coisa acontece quando ocorre um desequilíbrio de bactérias, há o aumento da quantidade de bactérias ruins na boca, aí começa a formação de tártaro, que é aquela placa falsificada que fica entre a gengiva e o dente. Ocorre também problemas na gengiva. 

Então, é muito importante que além da alimentação saudável a gente faça a prevenção diária e escovação de dente com produtos de qualidade. Então recomendo que vocês tenham escovas de dentes bem macias para não machucar a gengiva e toda vez que comer passar o fio dental para tirar o resto da comida e remover essa placa bacteriana que se forma. 

Essa informação é extremamente importante não só para a saúde da boca mas para a saúde do corpo. Afinal de contas, o nosso estômago não tem dentes e sem uma boa mastigação você vai ter vários problemas digestivos que podem virar complicações na sua saúde. Espero que tenham gostado!

Quer mais dicas para uma alimentação e um estilo de vida saudável? Me segue no Instagram