Alimentação infantil é uma dor de cabeça para muitos pais e um momento decisivo para a construção dos hábitos alimentares para o resto da vida. Cada criança é um mundo, é preciso muita paciência e dar trabalho para ensinar. No final das contas vale muito a pena! 

A primeira dica que eu dou é: dê o exemplo! Aqui em casa, eu e minha esposa nos dedicamos muito em dar uma alimentação saudável para os nossos filhos. Quando a família se alimenta bem, a criança tende a se alimentar da mesma forma. Mas, como qualquer criança, é natural que existam fases. Nas férias, quando normalmente há um pouco mais de liberdade, os filhos fogem um pouco daquela alimentação mais regrada de dentro de casa. E não podemos privar nossos filhos do convívio e da alimentação que está no contexto social, mas dentro de casa a gente tenta garantir o horário regular das refeições.

Pouca gente sabe, mas a alimentação infantil começa desde a barriga da mãe e também na fase da amamentação. É extremamente importante que a mãe se alimente bem nesses períodos! A partir dos 6 meses da criança até os 2 anos, quando a alimentação é complementada com os alimentos sólidos, precisamos ter todo o cuidado, pois é o momento que a criança vai desenvolver o paladar. E já sabendo que nós humanos nascemos com a predileção inata pelo sabor doce, se você não tiver cuidado sua criança só vai querer comer coisas doces e ter dificuldade em aceitar outros alimentos saudáveis, como legumes e frutas. 

E aqui vai um recadinho especial para os papais! Durante a época que atendia no consultório, percebi que os pais entram como uma figura sabotadora da alimentação saudável, oferecendo guloseimas. O pai dentro de casa precisa ser parceiro e estar alinhado ao mesmo propósito para uma alimentação infantil saudável. 

alimentação infantil

Olha como voltou o lanchinho da tarde das minhas filhas.

Tirei essa foto do que restou do lanche da tarde das minhas filhas para dizer às mamães de plantão que a introdução alimentar é assim mesmo, que nem sempre a criança come tudo e está tudo bem. Nessa fase o mais importante é a criança experimentar, pegar, brincar com o alimento, morder (quando tiver dentes, é claro!). É preciso experimentar cores e texturas variadas, não deixando de lado os alimentos mais firmes. Além de favorecer a aceitação da comida da casa é excelente para fortalecer os dentes e estimular a mastigação prevenindo cáries. Neste dia elas não estavam com muita fome na hora do lanche, preferiram brincar. Acabaram compensando no jantar comendo um pouco a mais do que o habitual. Na prática é comum acontecer isso, sem estresse!

Seu filho não come direito? Tire suas dúvidas nessa live que fiz com a Andreia Friques, nutricionista especialista em alimentação infantil. E se você está grávida e quer ter toda a informação necessária para a nutrição do seu bebê, confira essa live com a Dra. Kelly Oliveira

Quer conhecer minhas receitas e mais dicas de alimentação saudável? Vai no Instagram.